Navigation-Menus

A subida dos preços causam confusão na Cidade de Maputo


O principal dia útil do ano de 2022, em alguns terminais da Cidade de Maputo, foi marcado pelo tumulto. Inundação e desordem na mistura marcaram o principal horário desta segunda-feira, por conta do trecho de potência das novas taxas de veículos. Viajantes afirmam que, mesmo com a viagem, questões antigas continuam, como o encurtamento de cursos

Pois com o incremento do custo do transporte público viajante, ficou difícil dar troco a todos e esse é o teste atual para o catador. A desordem foi criada. Enquanto estávamos gravando nosso relatório, um residente não abriria mão do jeans de uma autoridade porque não tinha o troco.

“Esses novos custos só vieram para desorganizar. Não temos troco para dar aos viajantes e, quando isso ocorre, somos agredidos”, disse um motorista do transporte de viajantes semiagregado, que trabalha na Praça dos Combatentes - Anjo Voador curso, em Maputo.

A perturbação é de dois meticais para até 10 km e três para quem vai mais de 10 km, ou seja, no local onde foi cobrado 10, custa 12 Mt; onde costumava ser 12 passes para 15, etc.

A avaliação dos residentes continua como antes. O custo médio dos itens básicos é alto e o transporte é um dos menores nas cobranças mensais, protegido por Domingos Tonela, um dos viajantes.

A avaliação contrária é protegida por, uma subida do transportador irrelevante e diz que nada vai mudar.

“A vida é complicada de inúmeras formas. Actualmente, com esta expansão, vai ser muito sufocante. Moro na zona de Mateque e trabalho na zona da Baixa. Gasto constantemente algo na faixa dos 70 e 80 meticais”, disse.

Júlio Pamirene, um viajante que deu uma reunião para o nosso grupo, é funcionário público. A cada dia, ele gasta cerca de 100 Mt apenas com transporte e precisa refazer exercícios semelhantes por mais 30 dias.

Quem também reclama é Muaché Aliace. Para os idosos, mais do que irritar o valor, é importante trabalhar na ajuda.

“Saí do Mapulene para o Controlo e paguei 12 meticais. Do Controlo para cá [Xiquelene] são 12 meticais e presentemente vou para Mavalane e terei de pagar mais 12 meticais, uma soma de 36 sentido único. o valor da volta torna-se angustiante ”, disse Muaché Aliace.

Sobre isto, a Federação Moçambicana das Associações de Transportes Rodoviários aborda os habitantes para terem cuidado para que mudanças ocorram.

“Os fatos confirmam que existem transportadores perniciosos, que procedem com os terríveis atos de encurtamento de percursos e determinação do viajante, porém precisamos falar aos viajantes para relatar essas circunstâncias”, disse Baptista Macuvele, vice-presidente da FEMATRO.

Macuvele adiantou ainda que, com esta expansão, as transportadoras que já encerraram os exercícios vão de facto querer retomar e, consequentemente, garantir um incremento na acessibilidade do transporte aos residentes.

O incremento das taxas de veículos novos foi decidido pela Assembleia Municipal da Cidade de Maputo, no dia 17 de Dezembro, após algumas solicitações de transportadores que se consideraram violados com as anteriores taxas.